O que as gestantes devem saber sobre o Coronavírus

Categorias: Gestantes, Notícias
Data: 28/01/2020   228 Views  

Atualmente, existem muitas incertezas sobre o coronavírus de Wuhan, mas as autoridades estão fazendo o possível para proteger as pessoas. É provável que a maioria das mulheres grávidas esteja a salvo do vírus – com base nas informações que temos no momento. É importante saber que as mesmas precauções que devem ser tomadas para evitar o resfriado comum se aplicam a esse novo e preocupante vírus.

Um homem de 29 anos e uma mulher de 23 anos estão internados sob suspeita de coronavírus em Curitiba, segundo informações da Sesa (Secretaria de Estado da Saúde) e da SMS (Secretaria Municipal de Saúde de Curitiba).

Os dois pacientes regressaram de viagem à China nos últimos dias. O homem está internado em um hospital privado, enquanto a mulher está no Hospital das Clínicas, após dar entrada em uma UPA (Unidade de Pronto Atendimento).

Para orientar as gestantes sobre o assunto, disponibilizamos este conjunto de perguntas e respostas sobre o assunto. As informações tem como fonte a Sociedade Brasileira de Infectologia e em outras mídias.

O que é Coronavírus?

Coronavírus (CoV) é uma grande família de vírus, conhecidos desde meados da década de 1960, que podem causar um resfriado comum ou síndromes respiratórias graves como a síndrome respiratória aguda grave que ficou conhecida pela sigla SARS, do inglês Severe Acute Respiratory Syndrome, (SARS-CoV) e a síndrome respiratória do Oriente Médio, cuja sigla é MERS, do inglês Middle East Respiratory Syndrome (MERS-CoV). Esses vírus receberam esse nome devido às espículas na sua superfície que lembram uma coroa.

Uma nova variante do vírus foi identificada recentemente, após a notificação de casos de pneumonia de causa desconhecida entre dezembro/2019 e janeiro/2020, diagnosticados inicialmente na cidade chinesa de Wuhan, capital da província de Hubei. Essa nova variante não havia sido identificada previamente em humanos e foi denominada 2019-nCoV. Centenas de casos já foram detectadas em outras cidades da China, além de Tailândia, Japão, Coreia do Sul e Estados Unidos da América.

Estou grávida, devo ficar preocupada?

Sim, mas não mais do que você ficaria preocupada com a gripe. Durante a gravidez, partes do seu sistema imunológico ficam deprimidas, o que o torna mais suscetível a complicações de vírus como gripe e varicela. As gestantes, por exemplo, têm quase 3,5 vezes mais chances de acabar no hospital devido à gripe do que as mulheres que não estão grávidas, de acordo com um estudo publicado em junho de 2019 no Journal of Infectious Diseases. Por isso as campanhas sempre recomendam que as gestantes tomem a vacina contra gripe.

Lembram da época em que tivemos um surto de H1N1? Assim que vacina este disponível foi recomendado seu uso em gestantes.

Faz sentido esperar que uma mulher grávida tenha maior risco de complicações por esse vírus do que uma não gestante. Mas você também precisa ter em mente que, em geral, seu risco de contrair essa doença é muito baixo.

Uma das dificuldades para os médicos é que, nos estágios iniciais, é muito difícil distinguir um resfriado comum do coronavírus. O coronavírus, no entanto, tem capacidade para progredir rapidamente e causar febre alta, infecção grave e pneumonia. Parece que as mortes que ocorreram pela infecção pelo vírus Wuhan ocorreram em idosos e pessoas com outras doenças associadas.

Qual a origem deste surto?

Acredita-se que a fonte primária do vírus seja em um mercado de frutos do mar e animais vivos em Wuhan.

Há outros coronavírus com transmissão de animais para humanos?

Investigações detalhadas descobriram que o SARS-CoV foi transmitido de gatos selvagens para humanos na China, em 2002, e o MERS-CoV de dromedários para humanos na Arábia Saudita, em 2012. Vários coronavírus conhecidos estão circulando em animais que ainda não infectaram humanos.

A transmissão do coronavírus acontece entre humanos?

Sim. Todos os coronavírus podem ser transmitidos de pessoa a pessoa. Na maior parte dos casos, a transmissão é limitada e se dá por contato próximo, ou seja, qualquer pessoa que cuidou do paciente, incluindo profissionais de saúde ou membros da família que tenham tido contato físico com o paciente e/ou permanecidos no mesmo local que o paciente doente.

Qual é o tempo de incubação desta nova variante do coronavírus?

Ainda não há uma informação exata. Presume-se que o tempo de exposição ao vírus e o início dos sintomas seja de cerca de duas semanas.

Quais são os sintomas de uma pessoa infectada por um coronavírus?

Depende do vírus, mas os sinais comuns incluem sintomas respiratórios, febre, tosse e falta de ar/desconforto respiratório. Em casos mais graves, a infecção pode causar pneumonia, síndrome respiratória aguda grave, insuficiência renal e morte. Idosos e pessoas com problemas de saúde podem apresentar manifestações mais graves.

Contágio e Sintomas do Coronavírus

Contágio e Sintomas do Coronavírus. Fonte: G1 – https://g1.globo.com/pr/parana/noticia/2020/01/28/secretaria-de-saude-confirma-primeiro-caso-suspeito-de-coronavirus-no-parana.ghtml

Qual é a letalidade desta nova variante do coronavírus?

Não se sabe até o momento. Porém, acredita-se que a letalidade do 2019-nCoV seja inferior a do SARS-CoV e do MERS-CoV. Pelos dados iniciais publicados, a estimativa inicial é de que a letalidade seja em torno de 3% (26 mortes em 912 casos), inferior à do SARS-CoV e do MERS-CoV.

Existe um tratamento para o coronavírus?

Não há tratamento específico. No entanto, muitos dos sintomas podem ser tratados. Além disso, os cuidados de suporte às pessoas infectadas podem ser altamente eficazes.

Existe uma vacina para o novo coronavírus?

Quando uma doença é nova, não há vacina até que uma seja desenvolvida.

Tomei a vacina contra a gripe. Estou protegido contra o coronavírus?

Não. Esta vacina protege somente contra o vírus influenza.

Como reduzir o risco de infecção pelo coronavírus?

Evitar contato próximo com pessoas que sofrem de infecções respiratórias agudas; realizar lavagem frequente das mãos, especialmente após contato direto com pessoas doentes ou com o meio ambiente; evitar contato próximo com animais selvagens e animais doentes em fazendas ou criações.

Estão contraindicadas as viagens para a China e para os países com casos importados?

Não. Com base nas informações atualmente disponíveis, a Organização Mundial da Saúde (OMS) não recomenda nenhuma restrição de viagens ou comércio. A OMS corrobora para que as medidas de preparação para emergências de saúde devem ser fortalecidas pelos países em conformidade com o Regulamento Sanitário Internacional (2005).

Temos casos da nova variante do coronavírus no Brasil?

Até o presente momento (28/01/2019) temos casos suspeitos nas seguintes cidades: Curitiba, Belo Horizonte e São Leopoldo. Com esses novos casos em investigação, o ministério elevou a classificação de risco do Brasil para o nível 2, que significa “perigo iminente” – até segunda-feira (27) o país estava em nível 1 de alerta. A mudança de patamar faz parte de um protocolo envolvendo a escala, que vai de 1 a 3 – o nível mais elevado só é ativado quando são confirmados casos transmitidos em solo nacional.

  • Nivel 1 – alerta
  • Nível 2 – perigo iminente
  • Nível 3 – emergência em saúde publica

Há risco de epidemia global?

Sim. Mas até o momento, a OMS não declarou o surto de 2019-nCOV como uma situação de Emergência em Saúde Pública de Interesse Internacional.

Categorias: Gestantes, Notícias
Data: 28/01/2020   228 Views