Folículo no ovário: desvendando este mistério

Categorias: Dúvidas, Gestantes
Data: 06/09/2021   92 Views  

A presença de folículo no ovário pode ser algo intrigante, vamos aqui ajudar você a desvendar o mistério por traz do que isto significa. Os ovários são as glândulas femininas localizadas na pelve e responsáveis por produzir células sexuais. Além da sua função na reprodução humana os ovários também atuam como glândulas secretando hormônios que atuam sobre o sistema endócrino da mulher.

O tecido do ovário é repleto de folículos ovarianos. Um feto de 20 semanas, por exemplo, tem em média 300 mil folículos. Já por volta de 13 anos de idade, a mulher que inicia sua vida reprodutiva tem entre 1,5 milhões e 20 mil folículos. Em cada ciclo menstrual um folículo ovariano cresce e rompe, liberando o óvulo. Esse fenômeno é chamado de ovulação e caracteriza o período fértil. Portanto é bastante normal ter folículo no ovário e na maioria das vezes nenhum tratamento será necessário para tratar estes folículos.

Após ocorrer a ovulação o óvulo geralmente é captado pelas tubas uterinas local onde ele pode ser fecundado ou não. Caso ocorra a fecundação o ovo (óvulo fecundado) provavelmente irá se fixar no útero. Este processo de fixação é chamado de nidação. Esse é o início de uma gestação.

Se o óvulo não for fecundado nas tubas uterinas ene não irá se fixar na cavidade uterina e em alguns dias deverá ocorrer a menstruação.

Portanto a presença de folículos ovarianos é normal e tem papel importante para a reprodução humana. Mulheres que não possuem folículos ovarianos podem necessitar inclusive de técnicas de reprodução assistida para que tenham uma gravidez.

Como o foliculo no ovario é diagnosticado?

Normalmente os folículos ovarianos são estruturas muito pequenas, vistas apenas no microscópio. Portanto, quando você realiza um exame de ultrassom, aqueles milhares de folículos que estão presentes no ovário não podem ser vistos de maneira individualizadas. A maior parte do ovário tem aspecto homogêneo, como uma massa sólida. No ultrassom transvaginal podemos observar na periferia do ovários algumas pequenas bolinhas escuras (cistos). Estes são os chamados folículos antrais. Folículos antrais são aqueles pequenos cistos vistos nos ovários que estão em uma fase pré-ovulatória. Ou seja, que não iniciaram seu crescimento ainda, mas que podem responder aos hormônios para se desenvolverem.

No ultrassom o líquido fica escuro (preto) e esses folículos antrais ou pré-ovulatórios são alguns dos milhares de folículos que estão se preparando para ovulação. Nesse preparação para a ovulação eles aumentam a quantidade de líquido em sua volta, o chamado líquido folicular. É esse acúmulo de líquido folicular que dá o aspecto de “bolinha preta” na periferia do ovário.

Folículo no Ovário

Portanto a ultrassonografia é capaz de identificar o folículo ovariano que está sendo preparado para liberar um óvulo durante o processo de ovulação. Como os óvulos que estão sendo preparados acumulam um pouco de líquido em sua periferia esses óvulos podem ser identificados pela ultrassonografia como um pequeno cisto.

O que é Folículo Dominante?

No início do ciclo menstrual todos os folículos tem aproximadamente o mesmo tamanho. Dependendo do dia do ciclo menstrual a quantidade de líquido acumulada em volta dos óvulos pode aumentar bastante. Quando o ciclo menstrual inicia preparando o corpo para a gravidez, um dos folículos é recrutado. Esse folículo recrutado irá ficar maior que os demais e recebe o nome de folículo dominante.

O folículo dominante tem uma forma arredondada e recebe estimulação por meio de alterações hormonais ou medicamentos que produzem o seu desenvolvimento. Ao mesmo tempo que o folículo cresce os hormônios também fazem o tamanho do endométrio crescer, tornando o útero mais receptivo a gravidez.

No vídeo acima podemos observar uma reconstrução em 3D do ovário e seus folículos. O folículo dominante é o maior, assinalado em vermelho e indicado com o número 1.

Enquanto o folículo dominante cresce consideravelmente os outros folículos permanecem dormentes, ou seja, não se desenvolvem. Dessa forma um ultrassom realizado para acompanhamento do ciclo ovulatório, chamado de controle de ovulação, poderá demonstrar quantos folículos estão sendo estimulados e a velocidade de crescimento deles. Os profissionais que trabalham com reprodução assistida utilizam bastante este exame para acompanhar o desenvolvimento dos óvulos.

O controle de ovulação também poderá ser utilizado para acompanhar o desenvolvimento dos óvulos escolhendo o melhor momento para captação de folículos para uma fertilização in vitro, por exemplo. Em casos aonde existe dificuldade de gestação técnicas de reprodução assistida podem ser utilizadas pelo profissional de saúde.

É normal ter quantos folículos no ovário em cada ciclo?

Apesar de cada ovário ter milhões de folículos, espera-se que em um ciclo normal apenas um dos óvulos seja estimulado. Dessa forma um folículo dominante é observado por ciclo menstrual. A presença de mais de um folículo no ultrassom indica que mais de um óvulo está sendo estimulado e eventualmente poderemos ter a ovulação de dois óvulos. Mas calma, isso não significa necessariamente que você terá gêmeos. Mesmo ovulando dois ou mais óvulos a maior probabilidade é que apenas um seja fecundado e portanto ocorra uma gestação única.

Tinha um folículo no ovário direito e agora está no ovário esquerdo, o que aconteceu?

Os óvulos estão presentes em ambos os ovários. Portanto a presença de um folículo no ovário direito indica que, neste ciclo menstrual o estímulo está ocorrendo no ovário direito e se você realizar uma ultrassonografia irá ver um pequeno cisto nesse ovário. Esse é um cisto chamado funcional e não necessita nenhum tratamento específico. Em um próximo ciclo menstrual, caso você realize um novo exame de ultrassonografia o cisto poderá estar no ovário esquerdo. Isso apenas indica que agora o seu ovário esquerdo está sendo recrutado para liberar um óvulo.

Como existem óvulos nos dois ovários é comum que eles se alternem em cada ciclo. Portanto a cada menstruação um ovário diferente poderá apresentar um folículo ovariano. Portanto a presença de cistos nos ovários nem sempre é um sinal de preocupação. Isto pode apenas significar que seus óvulos ainda estão sendo recrutados e respondendo a presença de hormônios.

Qual a diferença entre folículo e óvulo?

Enquanto os óvulos são uma célula única que contém o material genético da mãe. Eles estão contidos dentro de uma pequena bolsa de líquido chamada folículo. Portanto o óvulo está guardado dentro do folículo e será liberado apenas durante a ovulação.

Em qual fase do ciclo menstrual o folículo ovariano é visto?

Os folículos ovarianos podem ser vistos em diferentes fases do ciclo menstrual, até mesmo quando a mulher estiver menstruando. Nos primeiros dias do ciclo menstrual, o que vemos no ultrassom são os folículos antrais, que geralmente tem entre 2 a 5 mm de diâmetro.

Quando um folículo dominante começa a se desenvolver, ele geralmente tem um pouco mais de 10 mm e deve crescer ao longo do ciclo menstrual até atingir 24 a 26 mm. Nesse momento o folículo habitualmente rompe, ocorrendo a liberação do óvulo que deverá entrar na tuba uterina.

Após o rompimento do folículo dominante, resta no ovário uma pequena cicatriz chamada de corpo lúteo. A avaliação de como se desenvolve o ciclo menstrual e os folículos ovarianos geralmente é feita por ultrassonografia. A ultrassonografia é um exame que permite acompanhar a estimulação do folículo e outras respostas da mulher ao ciclo da ovulação.

Com o ultrassom podemos, por exemplo, verificar alterações no colo uterino. Durante o período ovulatório no canal cervical habitualmente podemos observar a presença de muco, o que aumenta as chances de engravidar. O muco cervical serve como uma “porta de entrada” do espermatozóide para a cavidade uterina.

Além do ultrassom, em alguns casos o seu médico poderá solicitar também exames de sangue para acompanhar o ciclo ovulatório.

E quando o folículo não rompe?

Em alguns casos o folículo pode não romper, ocorrendo o que chamamos de ciclo anovulatório. No ciclo anovulatório não ocorre a liberação de óvulos e portanto a mulher não engravida. Nestes casos poderá ser necessária a ajuda médica de um profissional especialista em reprodução humana.

Em ciclos anovulatórios no ultrassonografia podemos ver um cisto, chamado de cisto funcional. Este cisto é habitualmente bastante grande, tendo cerca de 30 mm ou mais. Quando um cisto desses é identificado em geral o tempo para que ele desapareça é de aproximadamente 6 meses. É importante o acompanhamento com seu médico pois eventualmente ele poderá prescrever alguma medicação para evitar o crescimento deste cisto.

Os ciclos anovulatórios geralmente não prejudicam a saúde, entretanto eles dificultam a ocorrência de gravidez. Mesmo não ovulando o seu ciclo menstrual irá continuar e a menstruação poderá ficar desregulada. Caso você tenha ciclos anovulatórios o seu médico poderá prescrever um ciclo de estimulação ovariana ou medicações que ajudem a romper o folículo dominante para que o óvulo seja liberado. Estas técnicas de reprodução humana habitualmente envolvem o acompanhamento de uma equipe multidisciplinar, tratamento com medicamentos e acompanhamento com ultrassonografia seriada para avaliar a resposta dos ovários a estimulação.

Quais são os sintomas de folículos ovarianos?

Os folículos ovarianos normalmente não produzem nenhum sintoma. Excepcionalmente nos casos aonde o folículo não rompe e ele é muito grande (maior que 60 mm) pode ocorrer a torção do ovário. Os casos de torção do ovário produzem sintomas de dor pélvica aguda, muito forte e são um quadro de emergência, podendo inclusive ser necessária a cirurgia para retirada do ovário. Mas esta é uma situação bastante incomum e rara. A grande maioria dos casos de folículos ovarianos são assintomáticos.

Nos casos em que o ovário possui diversos folículos, poderemos estar diante da síndrome do ovário policístico. Neste casos alguns sintomas de distúrbios menstruais, obesidade e acne poderão estar associados.

Quem tem folículo no ovário pode engravidar ou precisa de fertilização in vitro?

Sempre que você tem dúvidas sobre a gravidez ou dificuldades para engravidar você deve conversar com profissional de saúde para discutir a necessidade de técnicas de reprodução assistida. Os folículos não impendem a gravidez, na verdade eles são necessários para que ela ocorra.

Tenha sempre em mente que o corpo humano não é perfeito e que para que as mulheres possam engravidar uma série de fatores devem estar presentes. É necessário um ciclo em que ocorra ovulação e a tuba uterina deve estar em boas condições para carregar o óvulo. Além disso o sêmen do parceiro deve conter uma quantidade satisfatória de espermatozóides e eles devem ter morfologia normal.

Não menos importante é o endométrio, camada mais interna do útero que irá receber o óvulo fecundado. Além de ter uma boa espessura o endométrio deve apresentar características favoráveis para que ocorra a nidação.

O anticoncepcional trata cistos no ovário?

O anticoncepcional faz o bloqueio do eixo endócrino que controle o ciclo menstrual. Portanto, quando uma mulher utiliza o anticoncepcional ela faz com que o ovário não sobra estimulação naquele ciclo. Nestes casos um exame de ultrassonografia poderá revelar um ovário com forma normal, mas com dimensões um pouco menos e sem folículos.

Estas alterações são bastante compatíveis com o bloqueio do eixo endócrino que faz a estimulação da ovulação. Portanto se você está usando anticoncepcional e seu ovário está um pouco menos não é necessário realizar nenhum tipo de tratamento. As alterações provocadas pelo bloqueio do anticoncepcional são rapidamente revertidas no momento da interrupção do uso do anticoncepcional.

Portanto o anticoncepcional poderá ser utilizado pelo seu médico para tratamento de cistos no ovário.

Quando procurar um especialista em reprodução humana?

O momento ideal é assim que você identificar algum fator que dificulta ou impede a gravidez. O especialista em reprodução humana deve ser procurado nos seguintes casos:

  • Após um ano de tentativas sem sucesso ou seis meses de tentativas em mulheres acima de 35 anos;
  • Mulheres com ciclos menstruais irregulares pois podem estar relacionadas a distúrbios da ovulação;
  • Casais que já tiveram mais de dois abortos;
  • Mulheres com história de endometriose;
  • Uso de medicamentos ou cirurgia que possam reduzir a reserva ovariana.
  • Mulheres que realizaram cirurgia para retirada dos ovários ou que receberam radioterapia ou quimioterapia.
  • Mulheres com doenças reumatológicas que usam medicamentos que interferem na reserva ovariana.
  • Parceiro com histórico de espermograma alterado ou doenças que podem afetar os espermatozoides.

Estas situações acima elencadas são indícios importantes de dificuldades para engravidar. Se você se enquadra em alguma dessas situações a avaliação por uma equipe multidisciplinar com um profissional de saúde especialista em reprodução humana é muito importante.

Categorias: Dúvidas, Gestantes
Data: 06/09/2021   92 Views