Estética na Gestação

Categorias: Dicas, Gestantes
Data: 10/09/2014   35353 Views  

Estética na Gestação

A gravidez é um período de novidades e felicidade, mas que exige cuidados redobrados com o corpo da mulher, incluindo pele e cabelo. Veja aqui algumas dicas de como manter a beleza durante a gestação.
Algumas mulheres ganham muito peso durante a gravidez, e isso não é bom. Dar atenção ao peso durante a gestação é fundamental para controlar o surgimento de estrias e outros problemas.

Lembre-se que a mulher deve engordar, no máximo, 15 kg durante a gestação. A partir deste ganho, a probabilidade de surgir estrias é maior. Além disso, este aumento de peso deve ser gradual e não de uma só vez. Mulheres com IMC (Índice de Massa Corporal) acima de 27 devem optar por emagrecer um pouco antes de engravidar.

Os problemas de pele que surgem neste período ocorrem porque, além da maior presença de hormônios femininos ( principalmente a progesterona) e da pele mais oleosa e esticada, os nutrientes, entre eles as vitaminas necessárias à saúde da pele e cabelos, precisam ser divididos entre mãe e filho. Manchas, celulite, estrias, acne, estes são os problemas estéticos que mais preocupam as mulheres grávidas.

box_alert  Mas não se preocupe: para cada um destes problemas existe um ou mais tratamentos estéticos que ajudam a preveni-los, combatê-los ou amenizá-los.

Durante os três primeiros meses é natural o aumento na oleosidade da pele, o que pode gerar o surgimento da acne. A saída é realizar uma limpeza de pele por mês e aplicar produtos que contenham na sua composição peróxido de benzoila e ácido glicólico, sempre prescritos por um dermatologista.

acne

Podem também ser realizados peelings de cristal e de frutas, que realizam apenas uma leve esfoliação. O Peeling de cristal é realizado com um aparelho que possibilita uma abrasão leve à moderada para a retirada de tecido morto e a paciente pode retomar suas atividades logo após a realização do procedimento ele também ajuda a combater as estrias e pode ser utilizado durante a gravidez, pois não são utilizadas substâncias que podem ser absorvidas pela pele, sendo somente um peeling mecânico.

Os cremes clareadores, por sua vez, devem ser usados com cautela, pois os produtos que contêm vitamina A e derivados na sua composição podem causar danos graves ao feto. A oleosidade tende a ser menor nos últimos meses da gestação, podem ser usados eventualmente sabonetes a base de enxofre, mas não é recomendado o uso de remédios para tratamento da acne, eles só devem ser usados sob orientação médica, porque alguns podem ser teratogênicos e causar sérios danos ao feto mesmo quando usados em pequenas quantidades ou doses únicas.

Uma vilã que surge ou se agrava durante a gestação é a celulite. Para saber como combater a celulite, primeiro é preciso saber o que provoca este mal, e a resposta vem sob a forma de retenção de líquido nos tecidos maternos (inchaço), um problema bastante comum na gravidez, principalmente nas mulheres acima do peso. A retenção de líquidos acontece por causa da alteração hormonal e piora a celulite – especialmente no último trimestre.

A solução mais indicada é a drenagem linfática, que deve ser realizada por um profissional qualificado. O tratamento contribui para a diminuição do inchaço e consequentemente diminui o aparecimento da celulite, além do controle de peso, obviamente.

Para a gestante que não gosta de massagem manual, a dermotonia, uma técnica francesa, pode ser a alternativa. É aplicada por profissional treinado, com um aparelho que faz uma levíssima sucção na pele, com os mesmos efeitos da drenagem manual. É a única técnica com aparelho que pode ser usada pela gestante. Se é a opção para você, cuidado: não a confunda com a endermologia, método semelhante, mas feito com sucção bem mais forte, imprópria para o período de gravidez. A aspiração pode causar varizes pois na gestação, os vasos ficam mais frágeis, devido ao aumento de volume sanguíneo.

Outro problema que incomoda as mulheres é o surgimento de estrias ou flacidez na região do abdome, mamas, coxas, nádegas e quadril. As estrias surgem entre 50% e 90% das mulheres grávidas e costumam aparecer no último trimestre e são motivadas pelo estiramento mecânico da pele. Fatores como a hereditariedade e a influência hormonal são determinantes, observe na família se as mulheres tem predisposição ao surgimento de estrias, principalmente na gravidez e, para se prevenir, massagens à base de cremes específicos, com centella asiática, colágeno e elastina são os mais indicados: o segredo no caso das estrias, é a hidratação local.

O tratamento para estrias – Intradermo com Vit C – com intervenções imediatas no local do surgimento das estrias, é possível reduzi-las ou até mesmo fazê-las desaparecer. Este tratamento não tem contra-indicação no período da gestação bem como no período da amamentação.

Para o tratamento de estrias preexistentes você pode também apelar para tratamentos com lasers, peelings, Subcision (técnica cirúrgica desenvolvida para amenizar depressões profundas na pele) e cremes indicados por dermatologistas, mas isto somente antes ou depois da gestação, não durante.

Quanto às manchas na pele do rosto (melasma), aréolas mamárias escurecidas e a “linha nigra” (aparecimento de uma linha escura na linha média do abdome), todos tendem a desaparecer sozinhos depois do fim da gestação, porém o melasma pode permanecer, portanto, o ideal é evitar que ele apareça, utilizando filtro solar.

melasma

O melasma ocorre em até 75% das gestantes. Geralmente tem início no segundo trimestre da gestação, sendo mais comum em mulheres da raça negra. Seu padrão de acometimento na gestação é o usual, sendo mais comum o centrofacial (63%), seguindo-se o malar e o mandibular. Ele costuma desaparecer completamente em prazo de até um ano após o parto, mas até 30% das pacientes evoluem com alguma seqüela da mancha. O tratamento inclui fotoproteção, bem como evitar a exposição solar exagerada. Fórmulas com corticóides, hidroquinona e tretinoína podem ser utilizadas no pós-parto. Por isso, gestantes podem aproveitar o sol, mas com uso de proteção solar em gel ou oil free com fator 25, 30 ou acima disto.

A depilação pode ser feita normalmente, com exceção da técnica a laser, que deve ser evitada durante toda a gestação.

As varicosidades acometem mais de 40% das gestantes, sendo mais comuns nas pernas e na região anal (hemorróidas). Surgem a partir do terceiro mês de gestação e apresentam etiologia multifatorial, incluindo tendência familiar, fragilidade do tecido elástico e aumento da pressão venosa devido à compressão venosa pelo útero em crescimento na gestação. Tendem a regredir no pós-parto, e pode ser realizada prevenção com o uso de meia elástica, repouso com elevação dos membros inferiores ou em decúbito lateral, sendo recomendával evitar a posição ortostática (em pé) por períodos prolongados.

As unhas também podem ficar fracas e quebradiças, por isso é recomendável uma manipulação de base de esmalte contendo vitaminas para uso semanal e hidratação com uréia.Em relação aos pés, o uso de cremes hidratantes contendo uréia diariamente e peeling de cristais quinzenais deixarão os pés lisinhos.

Há ainda os cuidados com o cabelo. Para mantê-lo bonito, não é preciso fugir de tinturas; basta ter cuidado na aplicação. Os produtos de coloração atuais têm composição menos tóxica e grande parte deles são livres de amônia e metais pesados, mas há necessidade de cuidados pois gestantes são mais propensas a alergias, por isso é recomendável realizar um teste com o produto em pequena porção da pele 24 horas antes de aplicá-lo totalmente, para verificar se o organismo terá alguma reação, além de não aplicar o produto rente à raiz dos cabelos.Aplicar tonalizantes naturais, por exemplo à base de hena, evita riscos à saúde, especialmente se for um procedimento seguido de hidratação.

A queda de cabelo ou eflúvio telógeno ocorre entre o 1º e 5º mês pós-parto e, geralmente, ocorre recuperação completa em até um ano. Se não houver melhora poderá ser usada uma loção capilar específica para estimular o crescimento do cabelo e tomar polivitamínicos.

Mas lembre-se: no caso de qualquer tratamento estético durante a gestação, é recomendável realizá-lo sempre em clínicas com profissionais qualificados, sempre comunicando a vigência da gestação e mantendo seu ginecologista informado sobre os eventuais tratamentos que vc esteja realizando.

E não se esqueça da alimentação saudável e da ingestão de grande quantidade de líquido: eles são fundamentais para a beleza da pele e do cabelo, além de trazer muito mais disposição, deixando a gestante ainda mais bonita.

Procedimentos Cosmiátricos na Gestação

 

Toxina botulínica

Existem vários relatos na literatura sobre o uso da toxina botulínica do tipo A durante a gravidez, para o tratamento de enfermidades (como distonia cervical, blefaroespasmo e acalasia) ou para fins estéticos – em quase todos não são apontadas anormalidades ao nascimento ou no desenvolvimento das crianças. A toxina botulínica do tipo A é droga da categoria C, e não é indicada durante a amamentação, já que não se sabe se poderia ser excretada no leite materno.37 Apesar da existência de vários relatos sugerindo sua segurança durante a gestação, a melhor conduta ainda é evitar seu uso para fins estéticos nesse período.

Preenchimentos

Não existem estudos sobre o uso de preenchedores durante a gravidez. Não foram relatadas complicações nos casos em que gestantes receberam aplicações de colágeno ou de ácido hialurônico.Teoricamente não existiriam riscos para o ácido hialurônico, dada sua composição idêntica à do ácido hialurônico humano; a recomendação mais sensata, entretanto, sugere evitar o uso dessas substâncias para fins cosméticos durante a gravidez.

Luzes e Laser

Apesar da grande disseminação e popularização dos procedimentos estéticos com lasers ou outras fontes de energia, ainda não existem estudos científicos que justifiquem seu uso durante a gravidez.Também não existem relatos sobre efeitos adversos que tenham sido relacionados com o estado gestacional. Recomenda-se evitar a aplicação do laser na região abdominal e intravaginal em mulheres grávidas. Porém, se considerarmos a maior susceptibilidade das gestantes à cicatrização lenta, hiperpigmentação pós-inflamatória e piora de queloides, seria mais prudente que todos os procedimentos estéticos com luzes ou laser, independente da região tratada, fossem adiados até o período pós-parto, visando a melhor cicatrização.

Peelings

A gravidez representa contraindicação relativa à realização de peelings químicos, tendo em vista que substâncias tópicas como o ácido retinoico, o ácido salicílico e o enxofre são classificados como medicamentos de categoria C pelo FDA. Apesar da ausência de relatos de complicações provocadas por seu uso tópico, a melhor conduta evita essas substâncias durante a gestação. Por outro lado, o uso tópico do ácido glicólico, assim como sua utilização em peelings químicos, representa alternativa segura durante a gravidez, não estando contraindicado, tal como, aliás, a microdermoabrasão com cristais de alumínio (peeling físico) – ainda assim, cabe lembrar o que já foi dito sobre a cicatrização mais lenta da gestante e sobre o risco aumentado de hiperpigmentação. Considera-se prudente optar por procedimentos muito superficiais para minimizar os riscos durante a gestação.

Outros Procedimentos

A eletrocoagulação, a crioterapia, o uso de ácido tricloroacético e a desobstrução mecânica da acne para remoção de comedões (sem aplicação prévia de substâncias ceratolíticas ou de aparelhos com corrente elétrica) são procedimentos considerados seguros durante a gestação. De qualquer forma, em se tratando de objetivos estéticos, o custo/benefício é aspecto a ser necessariamente avaliado.

Referências

  1. Newman WJ, Davis TL, Padaliya BB, Covington CD, Gill CE, Abramovitch AI, et al.Botulinum toxin type A therapy during pregnancy.Mov Disord. 2004;19(11):1384–5.
  2. Bodkin CL, Maurer KB, Wszolek ZK. Botulinum toxin type A therapy during pregnancy. Mov Disord. 2005;20(8):1081- 2.
  3. Nussbaum R, Benedetto AV. Cosmetic aspects of pregnancy. Clin Dermatol. 2006;24(2):133–41.
  4. Manela-Azulay M, Issa MCA, Tamler C, Pinheiro AMC, Costa A. Procedimentos estéticos. In: Costa A, Alves G, Azulay L, editores. Dermatologia e gravidez. Rio de Janeiro. Elsevier; 2009. p. 449-453.
  5. Navratil L, Kymplova J. Contraindications in Noninvasive Laser Therapy: Truth and Fiction. J Clin Laser Med Surg. 2002;20(6):341-3.
  6. Tung RC, Bergfeld WF, Vidimos AT, Remzi BK. Hydroxy Acid–Based Cosmetic Procedures Guidelines For Patient Management. Am J Clin Dermatol. 2000;1(2): 81-8.
  7. Bhalla M, Thami GP. Microdermabrasion: Reappraisal and Brief Review of Literature. Dermatol Surg. 2006;32(6):809–14.
  8. Grimes PE. Microdermabrasion. Dermatol Surg. 2005;31(9 pt 2):1160-5.
Categorias: Dicas, Gestantes
Data: 10/09/2014   35353 Views