Minha bolsa rompeu! Entenda o que é a Amniorrexe Prematura

Categorias: Dúvidas, Gestantes
Data: 19/07/2020   126 Views  

Durante a gestação, dentro do útero, o bebê fica em uma bolsa de líquido. Essa bolsa se forma logo no começo da gestação e o líquido que está dentro dela é o líquido amniótico. Por toda a gestação esse líquido da bolsa protege o bebê e permite o seu desenvolvimento. Veja nesse vídeo abaixo um bebê que nasceu com a bolsa íntegra. Em uma operação cesariana muitas vezes é possível expor o bebê para fora do útero ainda com a bolsa íntegra.

Normalmente, durante o trabalho de parto, enquanto acontecem as contrações, a pressão sobre essa bolsa aumenta e eventualmente ela acaba rompendo. Na maioria das gestações é isso que acontece, a bolsa rompe apenas durante o trabalho de parto.

É comum romper a bolsa antes do trabalho de parto?

Em cerca de 10% das gestações a bolsa pode romper espontâneamente antes do trabalho de parto iniciar. Esta situação é chamada de amniorrexe prematura ou rutura prematura de membranas (RUPREME). É importante saber que prematura nesses casos significa que foi antes do trabalho de parto iniciar . Portanto não tem nenhuma relação com a idade gestacional. Essa situação também é referida como “romper a bolsa” ou “estourar a bolsa” e pode acontecer subitamente (veja o vídeo abaixo aonde a bolsa rompe enquanto uma gestante dança).

Quais são os sinais de que a bolsa pode romper?

Não existem sinais prévios a rutura da bolsa. Ela ocorre sem dar nenhum aviso prévio. Eventualmente situações que aumentam a pressão abdominal (como tossir ou dançar) podem fazer com que ela rompa.

Como saber se a bolsa rompeu?

Quando a bolsa rompe você sente uma quantidade relativamente grande de líquido vazando pela vagina. Esse líquido é incolor e tem um cheiro que lembra água sanitária. É importante saber que algumas vezes no terceiro trimestre a gestante pode perder um pouco de urina em função da compressão da bexiga, o que pode ser confundido com o líquido da bolsa. Também é comum que a perda do tampão mucoso seja confundido com a rotura da bolsa. Enquanto o líquido amniótico é bastante fluído o tampão mucoso tem um aspecto mais denso, parecendo um catarro.

Caso você perca líquido é importante ir até o hospital para que um médico possa fazer um exame e identificar se foi a bolsa que rompeu. Caso você tenha rompido a bolsa provavelmente ficará internada no hospital.

O que fazer para saber se estou perdendo líquido?

Se você acha que está perdendo líquido deve consultar um médico. Os principais sintomas e sinais de perda de líquido amniótico incluem:

  • A calcinha fica molhada, mas o líquido não tem cheiro, nem cor;
  • A calcinha fica molhada mais de 1 vez ao dia;
  • Diminuição dos movimentos do bebê no útero, quando já houve uma perda maior de líquido.

Na maioria das vezes apenas o exame clínico é suficiente pois o médico poderá observar o líquido saindo do colo uterino. Em casos aonde o diagnóstico não é tão claro ele poderá fazer o “teste do forro”. O teste do forro consiste em colocar um pedaço de tecido forrando a calcinha e caminhar por alguns minutos. Se a bolsa estiver rota o tecido irá ficar molhado e com cheiro característico de líquido amniótico.

Nos casos de maior complexidade poderá ser necessário realizar outros testes como um exame de ultrassom para avaliar a quantidade de líquido na bolsa, medir o pH da vagina ou analisar as características do muco cervical em um microscópio.

O que pode causar o rompimento da bolsa antes da hora?

Nos casos em que a bolsa rompe antes do trabalho de parto, em especial os casos muito precoces, é comum a associação com infecções. As infecções urinárias e vaginais estão bastante associadas com a rotura prematura das membranas. O trauma mecânico como acidentes com batidas diretamente sobre o ventre materno, podem causar a amniorrexe. O consumo de álcool, tabaco e drogas também já foram associados com a rotura prematura da bolsa.

Já as bolsas que rompem perto do fim da gravidez, quando o bebê está maduro, costumam ocorrer ao acaso, sem associação com problemas.

O que acontece quando rompe a bolsa?

Na maioria das vezes que a bolsa rompe a paciente acaba por desencadear o trabalho de parto algumas horas depois. Não existe um tratamento especifico para a bolsa rota, uma vez que ela rompeu é como um “balão furado”. Todo o líquido acaba escoando para fora do útero e ela não consegue encher mais.

A conduta médica quando rompe a bolsa vai depender um pouco da idade gestacional em que isso aconteceu. Deve-se considerar que a bolsa e o líquido amniótico protegem o bebê e o útero materno contra infecções. Além disso o líquido é importante para o desenvolvimento pulmões do feto e de toda a sua musculatura. Ficar muito tempo (semanas ou meses) sem líquido pode colocar a mãe em risco. É importante ter em mente também que na maioria dos casos o trabalho de parto acaba ocorrendo em no máximo um ou dois dias depois da bolsa romper.

Tendo isso em mente, nos casos muito precoces (geralmente abaixo de 24 semanas) levando em consideração que a chance de sobrevida do concepto é muito pequena frente as complicações que podem acontecer com a mãe, na maioria das vezes a gestação é conduzida como um abortamento.

Por outro lado, quando a bolsa rompe entre 24 e 34 semanas, já existe alguma viabilidade do feto e nestes casos prefere-se a conduta expectante. Expectante no caso significa tentar identificar se existe algum problema associado e tratar (como uma infecção urinária). Caso a paciente não entre em trabalho de parto expontâneo tenta-se ganhar tempo pois cada dia que o feto permanece no útero aumenta a sua sobrevida e reduz a chance de complicações. Geralmente se consegue ganhar alguns dias e eventualmente semanas. Durante esse tempo no exame de ultrassom será observado o oligodrâmnio, que é o volume de líquido amniótico diminuído.

Nas bolsas que rompem acima de 34 semanas o feto já está quase pronto. Nestes casos não há vantagem esperar muito tempo. Então se a paciente não entra em trabalho de parto espontâneo algumas horas depois da rotura das membranas o parto poderá ser induzido.

Quanto tempo o bebê pode ficar com a bolsa rompida?

Não há um limite para isto. Geralmente nos casos próximos ao termo aonde ocorre a rotura da bolsa o parto costuma acontecer em até um ou dois dias, quando evolui para um trabalho de parto e o desfecho é o parto normal. Como já foi comentado acima, em casos aonde a bolsa rompe muito longe do termo a idéia é ganhar tempo para o feto amadurecer um pouco mais dentro do útero e nestes casos o bebê pode ficar até semanas dentro do útero com a bolsa rota. Claro que para que isso aconteça o médico irá se certificar que não existe nenhuma contra-indicação para manter o feto dentro do útero como infecções ou sinais de sofrimento fetal.

Categorias: Dúvidas, Gestantes
Data: 19/07/2020   126 Views