Provas de Função Renal nas Uropatias Obstrutivas Fetais

Categorias: Lembretes, Médicos
Data: 12/09/2014   1338 Views  

A obstrução urinária fetal baixa tem um prognóstico ruim devido a capacidade renal prejudicada e ao oligoâmnio, que está relacionado com a hipoplasia pulmonar. A avaliação da função renal antes da realização de uma derivação vésico-amniótica é importante para selecionar os pacientes com função renal preservada.

Sugere-se que a avaliação da função renal seja feita por meio da análise bioquímica da urina puncionada da bexiga fetal, ureter ou diretamente do rim. Quando a punção for realizada na bexiga, a mesma deverá ser realizada 3 vezes em intervalos de cerca de 48 horas pois na primeira e na segunda punção estaremos coletando urina armazenada já de muito tempo que está coletada na bexiga, ureteres e pelve renal. Quando a avaliação for seqüêncial e a função renal estiver preservada, espera-se a melhora progressiva dos parâmetros bioquímicos.

Os parâmetros que devem ser analisados são:

ParâmetroReferência
Sódio< 100 mg%
Cloreto< 90 mg%
Osmolaridade*< 190 mOsm/l
Cálcio< 8 mg%
ß2 Microglobulina< 6 mg/l
Proteínas Totais< 20 md/dl

Referência:

  1. Evans MI, Sacks AJ, Johnson MP, Robichaux AG 3rd, May M, Moghissi KS. Sequential invasive assessment of fetal renal function and the intrauterine treatment of fetal obstructive uropathies. Obstet Gynecol. 1991 Apr;77(4):545-50.
  2. Michael R Harrison; et al. The unborn patient : the art and science of fetal therapy. Philadelphia : W.B. Saunders, ©2001. 3rd ed.
Categorias: Lembretes, Médicos
Data: 12/09/2014   1338 Views