Obesidade materna limita a avaliação ultrassonográfica da anatomia fetal

Categorias: Artigos, Médicos
Data: 13/07/2022   51 Views  
Jodi S Dashe , Donald D McIntire, Diane M Twickler

> J Ultrasound Med. 2009 Aug;28(8):1025-30.

Objetivo

O objetivo deste estudo foi avaliar o efeito das características físicas maternas na visualização adequada da anatomia fetal durante um exame ultrassonográfico do segundo trimestre.

Método

Este foi um estudo de coorte retrospectivo de gestações únicas de 18 a 24 semanas que foram submetidas à ultrassonografia durante um período de 5 anos. Gestações com indicação de ultrassom por complicações prévias foram excluídas. Os exames de ultrassom foram realizados de acordo com os critérios do American Institute of Ultrasound in Medicine. Dez componentes anatômicos foram avaliados para adequação da visualização: átrios dos ventrículos cerebrais, fossa posterior, linha média da face, corte de 4 câmaras do coração, coluna, parede abdominal, vasos do cordão umbilical, estômago, rins e bexiga. O índice de massa corporal (IMC) foi baseado no peso da paciente na primeira consulta pré-natal.

Resultados

Das 10.112 mulheres submetidas ao exame ultrassonográfico, 2% estavam abaixo do peso; 38% tinham peso normal; 34% estavam acima do peso; e 26% eram obesas. A visualização completa da anatomia fetal diminuiu significativamente com o aumento do IMC materno, bem como para cada componente individual, com exceção da bexiga fetal (todos P < 0,001). Entre aquelas com IMC normal ou abaixo do peso, IMC com sobrepeso e obesidade classe 1, 2 e 3, todos os 10 componentes anatômicos foram visualizados adequadamente no exame inicial em 72%, 68%, 57%, 41% e 30% de casos, respectivamente (P <.001).

Influência do Índice de Massa Corporal (IMC) sobre o Ultrassom

Influência do Índice de Massa Corporal (IMC) sobre o Ultrassom

Conclusão

O aumento do IMC materno limita a visualização da anatomia fetal durante um exame de ultrassom em 18 a 24 semanas. Em mulheres obesas, análise da anatomia fetal pôde ser concluído durante o exame inicial em apenas 50% dos casos. A orientação sobre o exame pode precisar ser modificada para refletir as limitações da ultrassonografia em mulheres obesas.

Artigo original: Maternal obesity limits the ultrasound evaluation of fetal anatomy

Categorias: Artigos, Médicos
Data: 13/07/2022   51 Views