O que é o corrimento esverdeado?

Categorias: Dúvidas, Gestantes
Data: 12/08/2020   307 Views  

Todas as mulheres possuem, em maior ou menor quantidade, alguma secreção vaginal. Esse fluxo é uma característica normal entretanto ele é de pequeno volume e usualmente não possui nenhum odor forte ou desagradável. Essa secreção é produzida pela mucosa da vagina e do útero, o volume produzido diariamente é de 5 a 10 ml.

Em algumas situações esse corrimento pode aumentar de volume, de cor ou de odor. Neste artigo iremos falar especificamente do corrimento esverdeado, ou amarelo esverdeado.

O que a cor da secreção pode indicar?

Para o médico ginecologista, saber o aspecto do corrimento e o seu cheiro é muito importante. Geralmente os corrimentos esverdeados estão associados a um protozoário chamado Trichomonas vaginalis.

Corrimento Esverdeado - Trichomonas vaginalis

Trichomonas vaginalis

O Trichomonas vaginalis é responsável por uma doença chamada tricomoníase. Embora os sintomas da tricomoníase variem, muitas pessoas não conseguem saber se estão infectadas pois a infecção pode ser assintomática. Apenas cerca de 30% das pessoas infectadas possuem sintomas.

Nas mulheres o principal sintoma é o corrimento amarelo-esverdeado com odor fétido. O parasita passa de uma pessoa infectada para outra não infectada durante a relação sexual. Por isso é considerada uma infecção sexualmente transmissível. Nas mulheres a parte do corpo mais comumente infectada é o trato genital inferior (vulva, vagina, colo do útero ou uretra).

Nos homens a parte mais comumente infectada é o canal por onde passa a urina (uretra). Durante o ato sexual o protozoário passa do pênis para a vagina ou vice-versa. Ele também pode se espalhar de uma vagina para outra caso exista contado íntimo entre duas mulheres.

corrimento esverdeado da tricomoníase

Imagem de exame ginecologico mostrando o colo do útero e o corrimento amarelo esverdeado com bolhas característico da tricomoníase.

Depois da contaminação os sintomas levam de 5 a 28 dias para aparecer. Em alguns indivíduos este tempo pode ser bem maior. 

Não é comum o parasita infectar outras partes do corpo como mãos, boca ou ânus. A contaminação também não ocorre em contatos como abraços, beijos ou pelo uso compartilhado do vaso sanitário. Ainda também não se sabe explicar muito bem por que algumas pessoas apresentam sintomas enquanto outras são assintomáticas. Pessoas infectadas, mesmo que sem sintomas, transmitem a doença.

Qual o remédio para o corrimento esverdeado?

Antes de iniciar o tratamento é importante consultar o seu ginecologista para que ele possa durante o exame ginecológico confirmar se o corrimento é compatível com tricomoníase ou não. Outras doenças também podem provocar corrimentos semelhantes. 

O tratamento é realizado com antibióticos administrados por via oral ou na forma de creme vaginal. Também é possível combinar a via oral com a via vaginal. Idealmente o parceiro sexual também deve ser tratado, mesmo que não tenha sintomas. Isso é importante pois ele pode ser um portador assintomático da doença. Com o tratamento adequado a doença pode ser curada em uma semana.

O que fazer para acabar com o corrimento?

Caso você tenha episódios recorrentes de corrimento é importante conversar com o seu ginecologista e verificar se o tratamento foi feito de maneira adequada. Cerca de 17% das mulheres também podem se re-infectar logo após o tratamento. O uso de uma proteção de barreira (camisinha) também poderá ajudar a evitar novas contaminações.

Os principais fatores de risco para a tricomoníase são:

  • Múltiplos parceiros sexuais
  • História de doenças sexualmente transmissíveis
  • Infecção prévia por tricomoníase
  • Relação sexual sem método de barreira (camisinha)

Existe remédio caseiro para o corrimento esverdeado?

Apesar de estudos sobre o fitoquímico da goiaba (Psidium guajava L.) investigarem o seu uso para o tratamento de doenças causadas por protozoários como a tricomoníase, ela não é rotineiramente prescrita para a tricomoníase. O tratamento mais amplamente aceito é feito com antibióticos.

A tricomoníase pode acontecer na gravidez?

A tricomoníase pode causar complicações na mulheres grávidas. Existe um risco maior de parto prematuro e do bebê nascer com baixo peso. Embora isso seja incomum, a doença também pode ser transmitida para o bebê durante o parto.

Os antibióticos usados para tratar a tricomoníase são seguros para o uso durante a gestação. Se você está grávida e suspeita que tem tricomoníase ou qualquer outra DST, converse com seu médico o mais rápido possível para evitar complicações para você e seu filho.

Categorias: Dúvidas, Gestantes
Data: 12/08/2020   307 Views