Nomeação sistemática de gestações gemelares ao ultrassom

Categorias: Artigos, Médicos
Data: 12/09/2014   2634 Views  

ESTUDO QUE AVALIA A IMPORTÂNCIA DA EXISTÊNCIA DE UM MÉTODO PARA NOMEAÇÃO DOS GÊMEOS PARA SUA IDENTIFICAÇÃO, POSSIBILITANDO SEU SEGUIMENTO BIOMÉTRICO DURANTE O PRÉ-NATAL.

gemeos-nomenclatura-2
Representação esquemática da nomenclatura mais utilizada (proximidade do gêmeo com o colo uterino). A posição do feto em relação ao colo pode mudar em cerca de 10% das vezes, entretanto a posição do saco gestacional (direita e esquerda) permanece inalterado.

Objetivo

A correta nomeação dos fetos gêmeos é necessária para a consistência na atribuição e interpretação do seguimento e resultado pré e pós-natal de triagem e diagnóstico. O objetivo deste estudo foi descrever um método padrão de nomeação dos fetos gêmeos no primeiro trimestre da gravidez e avaliar a sua consistência no seguimento dos gêmeos em exames posteriores e no parto.

gemeos-nomenclatura-3
Durante o período perinatal também pode ocorrer mudança na posição dos gêmeos em relação ao canal cervical.

Métodos

Estudo retrospectivo realizado no primeiro trimestre de todas as gestações gemelares avaliadas por ultrassonografia no centro aonde foi realizado entre 2000 e 2010. O feto contido no saco gestacional mais próximo do colo materno foi designado como feto 1 e a orientação relativa dos fetos uns aos outros foi então definido como lateral (esquerda / direita) ou vertical (superior / inferior). Em gêmeos de sexos discordantes, o sexo e ordem apresentados na avaliação final antes do parto foram documentados e comparados com o sexo e ordem de nascimento no momento do parto.

gemeos-nomenclatura-1
Nomenclatura proposta, utilizando relação entre os gêmeos (esquerda/direita e cranial/caudal).

Resultados

Um total de 416 gestações gemelares foram avaliadas durante o período do estudo. Na avaliação entre 11-14 semanas 90,9% dos gêmeos tiveram orientação lateral, enquanto o restante orientação vertical. Nenhum dos pares de gêmeos orientado verticalmente modificou sua ordem, mas 32 (8,5%) dos pares de gêmeos lateralmente orientados modificaram sua ordem entre a primeira e a última ecografia antes do parto. Foram avaliados 108 gêmeos com sexo discordante no terceiro trimestre, dos quais a ordem de nascimento foi alterada em 20,3% quando nascidos por cesariana e em 5,9% dos nascidos de parto vaginal.

Conclusão

O estudo demonstra que a nomeação pré-natal de gêmeos de acordo com a lateralidade ou orientação vertical é confiável. A técnica garante a continuidade da avaliação biométrica seriada e como tal deve ser adotada como o método preferencial de nomeação nas gestações gemelares. Além disso, o uso da orientação lateral e vertical para a nomeação pré-natal de gêmeos, em vez de atribuição de um número com base na proximidade com o colo do útero, impede qualquer equívoco sobre qual dos gêmeos vai nascer primeiro e garante que os pais e pediatras estejam cientes da probabilidade significativa de uma inversão durante o parto.

Veja também: Tipos de Gestações Gemelares e Momento Ideal do Parto em Gestações Gemelares

Categorias: Artigos, Médicos
Data: 12/09/2014   2634 Views