O papel da doula na assistência à gestante

Categorias: Dúvidas, Gestantes
Data: 17/02/2022   631 Views  

Uma doula é uma profissional que fornece apoio físico, emocional e informativo contínuo à mãe. Antes, durante e logo após o parto. A doula não substitui o papel do médico, mas trabalha em colaboração com ele. Muitas mulheres escolhem ter uma doula presente durante a sua gravidez e parto porque oferecem benefícios únicos.

A palavra “doula” vem da Grécia antiga e significa “criada da mulher”. Uma doula pode dar um apoio inestimável às mulheres grávidas, quer estejam em trabalho de parto. Durante este tempo, a doula é uma fonte contínua de apoio e encorajamento para a mãe.

Ela é também uma “defensora da mãe”, ajudando-a a tomar decisões informadas sobre os seus cuidados durante a gestação e o parto. A doula é habitualmente uma pessoa do sexo feminino, pois a parturiente geralmente assim prefere devido à intimidade do momento do parto.

Para se tornar uma doula, não é necessário ter uma formação específica na área da saúde, mas precisa ter uma formação específica na área da doulagem. Existem diversos cursos disponíveis no Brasil.

O papel da Doula

Qual a vantagem de ter uma doula?

Uma doula pode ajudar a aliviar a dor das contracções, fornecendo orientação sobre técnicas de respiração, massagem, ou outras posições de trabalho de parto que possam aliviar o desconforto.

Uma doula oferece suporte durante todo o trabalho de parto, parto e no puerpério.

O médico ou a enfermeira obstetriz podem estar presentes apenas durante os estágios finais do parto. As doulas, no entanto, geralmente já acompanham a gestante antes do nascimento. Também ficam com você durante todo o trabalho de parto e o parto. Geralmente fazem ainda uma ou duas visitas de acompanhamento pós-parto para verificar o progresso da amamentação e garantir que o bebê esteja fazendo a pega da mamada corretamente.

Estudos mostraram que as doulas podem ajudar a reduzir o tempo do trabalho de parto, reduzir a ansiedade da mãe, diminuir a taxa de intervenções médicas (incluindo cesarianas) e melhorar o vínculo mãe-bebê após o nascimento.

Sua assistência tem demonstrado aumentar as chances de sucesso da amamentação, já que muitas doulas também são consultoras de amamentação.

Uma doula pode ser especialmente útil para uma futura mamãe que está sozinha, seja por escolha ou porque seu parceiro não pode estar presente.

Como funciona o atendimento da doula?

Geralmente a doula irá iniciar o acompanhamento da gestante por volta do sétimo mês de gestação. Isso é importante para permitir tempo para a discussão sobre o plano de parto. No plano de parto você deverá listar quais são suas preferências e desejos para o parto, como por exemplo se deseja ou não que seja feita a episiotomia.

Se você pretende ter uma doula é interessante conversar isso com seu obstetra para verificar se ele tem alguma recomendação ou se alguma equipe costuma trabalhar em conjunto com ele. Muitos obstetras já estão habituados a trabalhar com doulas pois percebem a importância da tarefa que elas realizam.

Os papéis são claramente definidos, com a doula oferecendo apoio moral para você e sua família, e o obstetra supervisionando seus cuidados médicos e o parto de seu bebê.

É importante avisar ao seu médico que você terá uma doula presente durante o trabalho de parto e o parto.

O que a Doula não faz?

Não pratica qualquer ato médico. Não faz exames como medir a pressão arterial ou toques vaginais para avaliar a dilatação do colo do útero.

Ela não substitui nenhum profissional habitualmente envolvido na assistência ao parto (como obstetra, pediatra ou anestesista). Também não é função da Doula discutir procedimentos com a equipe de saúde ou questionar decisões da mesma.

Quanto custa ter uma doula?

No Brasil, o custo varia entre R$ 250,00 e R$ 3.000,00 por dia. Geralmente este valor não é coberto pelo plano de saúde.

O hospital deve permitir a presença da doula?

Em Curitiba, as maternidades devem permitir a presença de doulas durante o trabalho de parto, o parto e após o parto.

Em geral outras cidades do país seguem a mesma conduta. Mesmo em hospitais do SUS a presença da doula deve ser permitida (mesmo quando ela é paga).

Qual a diferença entre parteira, doula e enfermeira obstetriz?

A parteira é uma figura bastante antiga e hoje cada vez mais rara. São pessoas que aprendem a auxiliar a parturiente durante o trabalho de parto. Atualmente estão mais presentes em áreas rurais, assistindo parto em regiões remotas, onde a assistência é precária. Adquirem conhecimento geralmente observando uma pessoa mais experiente na assistência ao trabalho de parto, não há um curso específico. Muitas vezes é a única pessoa que está ajudando a gestante no momento do parto.

A doula, como já comentamos, geralmente possui um curso de formação de curta duração. Sua atuação é mais voltada para o suporte físico e emocional à gestante e aos seus familiares. A doula não deve ser julgadora, respeitando as escolhas da gestante e do seu obstetra. Em nenhum momento a doula deve dizer a gestante o que deve fazer, mas sim dar-lhe poder, ajudando-a a tomar as decisões.

Por outro lado, a enfermeira obstetriz tem uma formação inicial em enfermagem com uma pós-graduação na área de obstetrícia. Por vezes é a principal figura na assistência do trabalho de parto, geralmente atuando em instituições hospitalares. Quase sempre em conjunto com um médico obstetra que poderá intervir em casos onde o parto apresenta alguma complicação.

Categorias: Dúvidas, Gestantes
Data: 17/02/2022   631 Views