Pesquisa Endometriose

A Ultrassonografia Transvaginal (USTV) já está consagrada como excelente método diagnóstico para a avaliação da presença de endometriose ovariana, principalmente na presença de endometriomas. O achado ultrassonográfico de endometriose ovariana é uma indicação de avaliação sistemática da pelve, a pesquisa de endometriose ou mapeamento de endometriose, no intuito de diagnosticar a endometriose profunda (EP), uma vez que é muito frequente a associação das duas formas da doença.

O preparo intestinal prévio associado ao exame transvaginal para a realização do mapeamento de endometriose tem o objetivo de minimizar ou eliminar os artefatos criados pelo conteúdo intestinal, principalmente aqueles provocados pelos gases contidos nas alças intestinais, aumentando a acurácia do exame por melhorar a qualidade técnica das imagens.

Aproximadamente 12% das pacientes acometidas por endometriose tem comprometimento intestinal, sendo o local mais frequentemente acometido o retossigmóide, em especial a transição retossigmoidea (70 a 90% de todos os casos de endometriose intestinal).

Quando existe preparo intestinal adequado é possível a identificação das camadas que compõem as paredes do retossigmóide, dando informações decisivas para estabelecer a conduta terapêutica mais adequada, bem como a localização da lesão, multiplicidade, profundidade de acometimento, percentual da circunferência da alça acometida e distância estimada da borda anal.

Também podem ser diagnosticadas aderências pélvicas, principalmente pela possibilidade de realização de manobras dinâmicas como a pressão manual da pelve por via abdominal e via vaginal com o transdutor durante o exame. A avaliação do recesso vesicouterino e do fundo de saco de Douglas para averificação de nódulos também é eficaz, finalizando o exame com a avaliação do fórnice vaginal e de possíveis lesões infiltrativas de canal vaginal.

Referências
Bazot M, Darai E. Value of transvaginal sonography in assessing severe pelvic endometriosis. Ultrasound Obstet Gynecol. 2010 Aug;36(2):134-5.
Daraï E, Bazot M, Ballester M. [Endometriosis]. Rev Prat. 2010 May 20;60(5):603-5, 607-9.
Bazot M, Lafont C, Rouzier R, Roseau G, Thomassin-Naggara I, Daraï E. Diagnostic accuracy of physical examination, transvaginal sonography, rectal endoscopic sonography, and magnetic resonance imaging to diagnose deep infiltrating endometriosis. Fertil Steril. 2009 Dec;92(6):1825-33.
Bazot M, Thomassin-Naggara I, Daraï E, Marsault C. [Imaging of chronic pelvis pain]. J Radiol. 2008 Jan;89(1 Pt 2):107-14.
Moore J, Copley S, Morris J, Lindsell D, Golding S, Kennedy S. A systematic review of the accuracy of ultrasound in the diagnosis of endometriosis. Ultrasound Obstet Gynecol. 2002 Dec;20(6):630-4.
Somigliana E, Infantino M, Candiani M, Vignali M, Chiodini A, Busacca M, Vignali M. Association rate between deep peritoneal endometriosis and other forms of the disease: pathogenetic implications. Hum Reprod. 2004 Jan;19(1):168-71.

Solicite um Pré-agendamento de ExamePré-agendamento de Exame