Artéria Subclávia Direita Aberrante (ARSA)

Escrito por Dr. Rafael Frederico Bruns em 30 de Julho de 2011. Publicado em Artigos Médicos

A artéria subclávia direita normalmente tem origem como primeiro vaso do tronco braquiocefálico no arco aórtico. Uma artéria subclávia direita aberrante origina-se como um vaso separado do tronco braquiocefálico e passa por trás da traquéia. A prevalência de artéria subclávia aberrante na população é baixa (cerca de 1 a 1,5%) e alta nos fetos com Síndrome de Down (de 30 a 40%). Dessa forma este achado aumenta o risco para o feto ser portador da Síndrome de Down. Por um outro lado, quando a artéria subclávia direita tem sua origem habitual, o risco do feto ser acometido pela trissomia do cromossomo 21 é reduzida.

Arco Aórtico - Anatomia Normal e Artéria Subclávia Direita Aberrante

Clique nas imagens acima para ampliá-las.

Como fazer para obter a imagem da Artéria Subclávia Direita?

Para identificar a artéria subclávia devemos seguir os seguintes passos:

  1. No preset de ecocardio fetal, localize o corte de 3 vasos e traquéia (corte transversal um pouco acima do coração, também conhecido como 3VT)
  2. Ligue o Doppler colorido e diminua o PRF, como a velocidade do sangue nesta artéria é menor, deixe ele ajustado para 15 a 25 cm/s
  3. Bascule lentamente o transdutor para cima e em direção ao ombro fetal direito, quando estiver insonando a artéria subclávia direita você terá a seguinte imagem:

Trajeto da Artéria Subclávia Direita ao Ultrassom (Normal e Aberrante)

Clique nas imagens acima para ampliá-las

Social Bookmarks

Autor

Dr. Rafael Frederico Bruns

Professor Assistente do Departamento de Tocoginecologia da Universidade Federal do Paraná

Graduado em Medicina pela Pontifícia Universidade Católica do Paraná

Residência Médica em Ginecologia e Obstetrícia pelo Hospital Universitário Evangélico de Curitiba

Pós-graduação em Genética Humana pela Pontifícia Universidade Católica do Paraná

Mestre em Ciências pela Disciplina de Medicina Fetal do Departamento de Obstetrícia da Universidade Federal de São Paulo / Escola Paulista de Medicina (veja a tese de mestrado sobre Translucência Nucal)

Título de Especialista em Ginecologia e Obstetrícia (TEGO) pela FEBRASGO/AMB

Certificado de Atuação em Ultrassonografia em Ginecologia e Obstetrícia pela FEBRASGO/CBR/AMB

Certificado de Atuação em Medicina Fetal pela FEBRASGO/AMB

Membro Coligado do Colégio Brasileiro de Radiologia

Membro da Sociedade Internacional de Ultrassonografia em Ginecologia e Obstetrícia

  Research papers by Rafael Bruns

Veja o currículo completo e atualizado no site do CNPq

Comentários